O Maranhense|Notícias do Estado do Maranhão

Coletivo Nós se manifesta sobre gestão estadual, transporte público e Auxílio Brasil

O co-vereador do Coletivo Nós (PT), Jhonatan Soares, usou a tribuna da Câmara Municipal de São Luís, nesta segunda-feira (22), para falar sobre a condução do governo maranhense no cenário de crise econômica e de pandemia. Tratou ainda da situação do sistema de transporte coletivo e criticou o Auxílio Brasil, que segundo ele, é ineficaz. 

Jhonatan Soares destacou a gestão do Governo do Estado, observando que “o governador Flávio Dino demonstra muita competência em fazer gestão pública, o que pode ser visto diante da crise mundial econômica e nesse cenário de pandemia”. Segundo ele, há falhas, mas, em comparação aos demais estados, o Maranhão sempre apresentou uma situação de melhor controle dos impasses.  

Fez comparativos com a gestão do Rio de Janeiro. “O Rio quebrou economicamente, chegando a parcelar pagamentos de professores e do 13º salário”, frisou o co-vereador. E acrescentou que “até hoje a gestão estadual sempre antecipa o pagamento de salários e no que refere à pandemia, foi um dos que melhor enfrentou o problema”. O Maranhão, proporcionalmente ao número de habitantes, foi o estado com o menor número de mortes do país, lembrou o co-vereador. 

Jhonatan Soares criticou o Auxílio Brasil, programa do Governo Federal que substituiu o Bolsa Família. Em sua avaliação, os critérios não permitem o acesso das pessoas que mais precisam. “Esse programa retrocedeu na assistência às pessoas mais vulneráveis e muitas entidades têm se manifestado contra. Acabou com o maior programa de transmissão de renda do mundo, que era o Bolsa Família. Com o Auxílio Brasil, pode ser que essa realidade mude e tenhamos, com certeza, o aumento de pessoas na margem da miséria”, pontuou. 

O co-vereador criticou ainda o sistema de transporte público de São Luís. “É de péssima qualidade e inseguro para os usuários”, sentenciou. O parlamentar ressaltou problemas como falta de adaptação a pessoas com deficiência, problemas de estrutura física e mal funcionamento de elevadores, nos que possuem o equipamento. Ressaltou ainda a reclamação de usuários pela demora do coletivo, em algumas áreas. “Precisamos resolver esse problema. As pessoas com deficiência precisam, os usuários, de forma geral, precisam de um transporte coletivo de qualidade”, finalizou.