.

Coletivo Nós repercute vitória de Lula e defende reconhecimento do resultado

Durante a sessão desta segunda-feira, 7, o co-vereador Jhonatan Soares, do Coletivo Nós (PT), ocupou o grande expediente para destacar a vitória de Lula (PT) na eleição presidencial pela terceira vez, com a menor diferença para o segundo colocado.

Em discurso na tribuna, além de comentar sobre o resultado do segundo turno das eleições presidenciais, o parlamentar levantou a discussão sobre o cenário político e social do país. Ele defendeu o reconhecimento da vontade soberana dos eleitores e destacou que a votação do Maranhão contribuiu para fazer a diferença no pleito.

“A vitória nas eleições foi obtida depois de uma campanha eleitoral tensa, com a disseminação de fake news. Venceu a vontade da maioria e o Maranhão sozinho conseguiu dar a diferença que o presidente Lula precisava para vencer a eleição. Conseguimos, inclusive, aumentar a votação entre o 1º e 2º turno alcançar a marca de 71% dos votos”, frisou

Perfil conciliador

Jhonatan Soares afirmou ainda que Lula está de parabéns pela vitória, segundo ele, necessária para o povo maranhense e brasileiro. O parlamentar também destacou o papel conciliador do presidente eleito para ajudar a unir o país novamente.

“O perfil conciliador do nosso presidente eleito. Isso é muito importante destacar, que não dialoga com fascismo, não dialoga com fascistas, não levanta um discurso extremista, mas consegue agregar forças do centro-direita e da esquerda mais ideológica. Um exemplo disso foi quem o presidente Lula convidou para ser vice. Durante toda a história da política do PT, o PSDB sempre foi contra as gestões petistas e o PT nacional convidou o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que é centro-direita, para compor a chapa. Isso mostra para a população brasileira que o presidente Lula está aberto com os diferentes e os divergentes”, completou.

Movimentos fascistas

Ao concluir seu discurso, Jhonatan Soares classificou os movimentos que pedem “intervenção federal” nas portas dos quartéis na capital maranhense e no país de “movimentos fascistas”. “É preciso respeitar a vontade da maioria do eleitorado brasileiro que optou pela eleição do presidente Lula”, disse o parlamentar, aparteado pelos vereadores Astro de Ogum e Concita Pinto (ambos do PCdoB).