Coepi cobra Governo Federal adoção de medidas urgentes e testagem de indígenas

A Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), por meio da Comissão Estadual de Articulação de Políticas Públicas para os Povos Indígenas no Estado do Maranhão (Coepi/MA), tomou conhecimento, ontem (05), através da Prefeitura de Maranhãozinho, da realização de testagem do Povo Ka’apor, na aldeia Ximborendá, Terra Indígena Alto Turiaçu. Da amostragem de 35 testes realizados, 28 foram positivos, sendo que em uma semana foram contabilizados 5 óbitos suspeitos de pessoas sintomáticas, que não chegaram a ser testadas.

Para a secretária executiva da Coepi, Adriana Carvalho, a contaminação do povo Ka’apor põe em risco também a existência de índios de recente contato e altamente ameaçados, o Povo Awá Guajá. Ainda de acordo com Adriana Carvalho, a comissão já vinha realizando diálogos com gestores federais, estaduais e municipais do Maranhão, para a adoção de medidas e estratégias articuladas de prevenção e controle do Coronavírus nas TI’s do estado.

Após tomar conhecimento dos casos na aldeia Ximborendá, a comissão informou que cobrou da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), que tem a responsabilidade no Governo Federal, a adoção de medidas urgentes, campanha de ampla testagem nas terras indígenas e efetivação de um Plano de Emergência a ser realizado em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e prefeituras municipais.