Centro Ambiental Ribeira: do lixo a espaço de regeneração ambiental e humana

“Um lugar de muito lixo, sem vida”. Assim Ananilson Araújo definia o antigo Aterro da Ribeira, localizado na região do Cinturão Verde, zona rural de São Luís até 2015. O roçador lembra que o descarte irregular de lixo naquela região provocou a poluição de rios e igarapés. “O lixo trouxe grandes prejuízos pra nossa região. Cresci vendo igarapés sendo poluídos e destruídos”, afirma. 

Após duas décadas convivendo com o aterro no quintal de casa, a vida de Ananilson e de mais 80 famílias passou a mudar, depois que o Aterro da Ribeira foi fechado.

Agora, depois de cinco anos, o local reabre, mas com outra finalidade: um espaço de regeneração ambiental e humana. “Graças ao centro, meus filhos viverão uma realidade diferente da que vivi há 15 anos”, agradece o roçador que mantem sua família com o sustento do novo Centro Ambiental Ribeira. 

Resultado de um longo trabalho, o novo Centro Ambiental Ribeira foi entregue na manhã dessa terça-feira (15). “É com grande orgulho que encerramos um ciclo que começou há cinco anos. O lugar onde durante duas décadas serviu como lixão, hoje é o Centro Ambiental Ribeira. Mais que uma entrega, hoje o estado do Maranhão se torna referência na gestão de resíduos sólidos e reciclagem da região Nordeste. O nosso Centro é ainda, o primeiro do país a funcionar na metodologia de ecopark”, conta Carolina Estrela, Presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana de São Luís.

Uma nova história

A abertura do Centro Ambiental Ribeira vai reforçar a cultura de reciclagem da população ludovicense. Atualmente, a capital maranhense produz cerca 760 toneladas de resíduos por dia, sendo que aproximadamente 5,5% desse lixo é reciclado, fazendo de São Luís a capital com maior taxa de reciclagem do Nordeste. 

Com o Centro, todo o material da coleta seletiva entregue nos 20 ecopontos espalhados pela cidade será direcionado à Central de Triagem de Recicláveis, onde ganhará destinação correta. Já os rejeitos de feiras livres e mercados públicos – 90 toneladas ao mês – irão virar adubo orgânico no Pátio de Compostagem, que será distribuído gratuitamente para produtores rurais da zona rural.

Para os rejeitos da construção civil, o Centro conta com a Usina de Britagem de Entulho, onde todo o material é transformado em matéria-prima para produção de telhas, tijolos e outros materiais de construção. 

Segundo o prefeito da capital, Edivaldo Holanda, a entrega do novo dispositivo faz parte da política de incentivo, fortalecimento e profissionalização do setor e segue as recomendações da Política Nacional de Resíduos Sólidos. “São Luís ganha uma área totalmente revitalizada e moderna. Hoje, posso dizer com muito tranquilidade que o país volta os olhos para esse grande equipamento que é referência nacional”, comemora Edvaldo.

Educação ambiental

Mais que um centro de reciclagem, o Centro Ambiental Ribeira promove a conscientização e incentiva educação através do Casarão da Aprendizagem. Um espaço multiuso para cursos, palestras e eventos com foco na educação ambiental. O local é voltado para gestores públicos e privados, estudantes e toda população maranhense. “Há cinco anos, quando iniciamos esse projeto, São Luís tinha a menor taxa de reciclagem entre as capitais do Nordeste, hoje somos a primeira entre todas. Resultado do trabalho e dedicação de anos, mostrando que é possível mudar uma realidade através de políticas públicas. Agora, nossa cidade vivencia um novo momento com a entrega do Centro Ambiental Ribeira”, conclui Carolina Estrela.