.

Castração animal: um ato de empatia à saúde coletiva e individual dos pets e humanos

Mesmo em 2023, com muitos especialistas fazendo campanhas e mostrando a importância da castração, no que diz respeito à saúde coletiva e individual, no comportamento e controle populacional desses animais, muitos ainda recriminam o ato e vão na contramão dos benefícios possibilitados por meio do procedimento.

Na via das recomendações, a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), por exemplo, reconhece a castração como uma das principais medidas para evitar a superpopulação dos pets e atua diretamente na prevenção do abandono dos bichinhos. Além disso, o órgão destaca que o procedimento contribui de forma efetiva para o bem-estar desses animais, reduzindo inclusive, os riscos de transmissão de doenças.

A docente do curso de Medicina Veterinária da Facimp Wyden, Fernanda Karollyne, explica mais sobre os benefícios indispensáveis proporcionados pela castração. “A conhecida frase clichê, que diz ‘castrar é um ato de amor’ é super válida. É importante informar que esse ato ajuda em muito na saúde do seu pet, bem como na responsabilidade social e afetiva com seus animais”.

A especialista explica que a castração dos cães e gatos também ajuda na prevenção de doenças. “Doenças muito comuns em cães e gatos, como câncer de mama e do colo do útero, cistos ovarianos, piometra e hérnia perineal, entre outras, são prevenidas através da castração”, explica. 

Procedimento

A cirurgia para a castração do pet é simples e pode ser feita a partir dos 6 meses, tanto para machos quanto para fêmeas. A recuperação geralmente é rápida, quando bem feita e por profissionais qualificados.

Além dos benefícios coletivos, o bem-estar individual também é garantido. “Os animais ficam mais dóceis e mais caseiros e, assim, com maior expectativa de vida; menores são os riscos de contrair doenças, resultando em menos gastos com tratamentos diretos à saúde dos pets”, finaliza.