Batalha de danças urbanas Negro Cosme marca noite de sábado na 16ª Semana Maranhense de Dança

A 16ª Semana Maranhense de Dança segue em ritmo acelerado e, neste sábado (26), houve a batalha de danças urbanas Negro Cosme. A ação faz parte da extensa programação do evento, que se estende até quarta-feira (30). A abertura ocorreu na segunda-feira (21).

Realizado na Praça das Mercês, localizada no Centro Histórico de São Luís, o momento foi de muita descontração e contou com vários dançarinos de toda a cidade, que se reuniram para mostrar talento e desenvoltura na dança. “Esse é um momento único de expressar o que estamos sentindo. Então, no momento em que estamos dançando, a gente é outra pessoa e eu consigo até me expressar da maneira mais fluida possível. É como se eu sentisse a energia positiva pelo meu corpo”, explicou a dançarina Elza Fernanda.

A Semana de Dança, para algumas pessoas que estiveram no evento, vai além de um simples evento cultural, mas se trata de um movimento das periferias, um ato de inclusão social e até uma ação política. “A Semana de Dança é inclusiva, é um movimento periférico, urbano, de rua, político, do povo preto. Então, é muito importante a gente contar com as periferias, com a pluralidade de pessoas. É muito importante o governo fomentar esse tipo de evento”, destacou a produtora cultural, Larissa Ferreira.

Até o final do evento terá, ainda, oficina de elaboração de projetos, exibições de danças, mostra coreográfica, apresentações das companhias e de grupos de dança, solenidade de premiação, performances de danças, exibições de espetáculos, rodas de conversa e outras atividades.